A obra que tu me deste eu fiz…

A obra que tu me deste eu fiz…
06/10/2020

“... E, levantando seus olhos ao céu,  disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti... E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer.” (João 17:1-4).

Me diz, nesses seus anos de vida o que exatamente o Senhor mandou você fazer? Qual foi o propósito escolhido para você? Foi cumprido? O que você vai dizer quando encontrar o Pai? 

Eu não sei se você conseguiu responder alguma dessas perguntas feitas, mas independente da resposta, eu preciso te fazer refletir sobre a sua vida a partir de agora. 

Não me importo se você tem 15, 20 ou 40 anos de idade. Se tem 5 ou 30 anos de fé, esse texto é para você que não sabe o que vai entregar ao Senhor quando se encontrar com ele. Leia até o final e mude a direção da sua vida ainda hoje. Você não sabe se haverá um amanhã.

Entendendo a palavra propósito!

Nos últimos anos, a palavra propósito tomou ainda mais força na vida das pessoas, e passou a fazer parte, inclusive, do meio profissional. Nunca se viu tanta palestra de direcionamento para o encontro do tal propósito.

Dicas para descobrir seu propósito de vida”, “Perguntas que vão te levar ao propósito de vida”, e assim por diante, são temas usados em palestras empresariais como forma de direcionar pessoas a viver em prol de algo que faça sentido.

As mudanças no mundo trouxeram consequência significativa a vida de pessoas que perceberam que é impossível viver sem ter um objetivo principal de vida. Isso porque viver sem ter um fim a ser conquistado, não faz sentido, não motiva e não traz satisfação. Eu preciso saber onde vou chegar, caso contrário, meu emocional vira de cabeça para baixo e nada faz sentido.

Curiosamente, nós, cristãos, ouvimos sobre propósitos desde crianças, quando somos ensinados por nossos pais, pelas professoras da EBD, quando somos discipulados, e até mesmo nos cultos.

Aliás, a palavra propósito faz parte da vida do cristão desde que ele é gerado no ventre. Não porque isso é exclusividade nossa, mas porque somos ensinados que nascemos para um propósito e teremos que cumpri-lo para nos apresentar diante de Cristo não com as mãos vazias, mas com dever cumprido.

Quem lembra do hino da harpa que diz “Posso tendo as mãos vazias, com Jesus, eu me encontrar? Quantas almas poderia ao senhor apresentar?” É, e sempre foi sobre isso.

Teoricamente, se isso funciona, todos os cristãos hoje deveriam estar satisfeitos, com a ‘mão no no arado’ fazendo exatamente o que foram chamados para fazer, certo? E por que não funciona dessa forma? 

Bem, diante disso, há alguns pontos que andam me preocupando no meio cristão que quero trazer à realidade hoje. 

Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.

Romanos 8:28

Eu quero que você olhe para si agora e pense: eu entendi que o propósito não é mera teoria e que eu preciso buscar entender o meu papel diante do Senhor?

Talvez você me responda: mas, Mayara, eu tenho buscado a tanto tempo e nunca obtive um direcionamento certo da parte de Deus. E eu te digo, você até recebeu, mas não conseguiu entendê-lo porque estava mais preocupado(a) com coisas que não deveria que não silenciou para ouvir a voz de Deus.

Sabe, eu vou te contar algo sobre mim. Ao longo da minha vida fui instruída pelos meus pais a servir ao Senhor e buscar sua vontade. Sempre fui ativa na igreja e também tive esse direcionamento por parte dos meus líderes.

Eu procurei fazer exatamente o que me foi instruído até que chegou o dia que eu tive um encontro com o Senhor e ele passou a direcionar meus passos, de maneira que eu o escutava constantemente.

Nesse processo fiz escolhas, abri mão de algumas coisas, abracei outras, mas nunca deixei de viver de acordo com a minha idade. Só inverti alguns papeis que são tão comuns na vida de algumas pessoas.

Mas nesse trajeto fui, e tenho sido, questionada por pessoas a respeito das minhas escolhas, do porquê eu fazia tão diferente de algumas das minhas amigas que escolheram um trajeto mais simples. 

Com sinceridade, eu não me assustaria se essas perguntas tivessem vindo de pessoas ímpias, no entanto, elas vinham de pessoas cristãs que sabiam, mais do que ninguém, que existem propósitos de vida.

Isso me fez questionar se, de fato, as pessoas sabem que existe um propósito no Senhor que elas precisam buscar. Se o próprio Jesus teve um propósito único na terra, por que nós não teríamos? 

O versículo citado no primeiro parágrafo deste artigo é uma parte  da oração de Jesus, narrada em João 17 quando chegou a hora da crucificação. 

Reunido com os apóstolos, Jesus, primeiramente, entregou tudo ao Pai, entendendo que havia cumprido sua missão aqui. Em seguida, ele intercede por todos os Cristãos, quando ora pelos apóstolos, pedindo que o Pai os guarde em sua Palavra e os livre do maligno. 

Jesus é o exemplo claro que estava aqui por um único motivo, que era revelar a glória do Pai às pessoas. Para tanto, ele se dedicou em entender onde o Pai queria que ele estivesse, e fazendo exatamente o que o Pai ordenasse. 

Isso não foi uma exclusividade de Jesus. Devemos ser semelhantes a Ele, seguindo os passos dEle. Isso significa que também temos o propósito deixado pelo Pai para nós. 

Porém cada um de nós recebeu um dom especial, de acordo com o que Cristo deu.

Efésios 4:7

Por muitos anos, as pessoas limitaram a palavra propósito por “talento e dom” e, mais que isso, passaram a especificar as coisas. Por exemplo, se a pessoa canta, este é o dom e o propósito dela, ganhar almas através do louvor. Ou se a pessoa prega, a ideia é a mesma. Assim sucessivamente. Limitaram uma coisa que é tão abrangente na Palavra.

O propósito diz respeito a revelar a glória do Pai através da sua vida. E isso só é possível em um relacionamento de obediência e submissão com Deus onde você se permite escutar o direcionamento dEle para a sua vida. Ele sabe onde você precisa estar, e isso basta!

Aliás, submissão é um dos aspectos necessários para aqueles que desejam ser usados por Deus. Veja, por exemplo, a história de Ester. Ao que o livro relata, Ester, que foi criada sem os pais, sempre foi obediente e submissa e, por meio disso, Deus conseguiu cumprir o propósito que ele tinha para um povo, através da vida dela. 

Ester foi escolhida para livrar um povo da morte. Ela conhecia a importância do jejum e da oração e venceu, a partir do momento que obedeceu a voz de Deus para estar onde ela precisava estar.

De novo, isso também não é uma exclusividade de Ester. Nós somos o povo escolhido e, como tal, temos propósitos destinados aqui na terra a serem cumpridos. O desafio se torna ainda maior com a quantidade de distrações que temos hoje na nossa frente, mas o propósito não mudou. Assim como a Palavra permanece a mesma.

Silencie de tudo que está fazendo, volte-se para o Senhor e procure entender o que Ele quer de você. Não importa a sua idade, se ainda tem vida, é porque tem propósito a ser cumprido!  Deixa ele dizer onde você precisa estar, o recurso ele te dará. Mas não fique, não fique, sentado levando uma vida sem propósito. Isso só vai te prejudicar.

Imagina o quão maravilhoso será quando chegar o dia que você vai poder falar Terminando assim o trabalho que me deste para fazer.”

Eu espero, de todo meu coração, que possamos falar dessa forma! Que Deus abençoe sua vida e que você encontre o caminho de volta ao que Deus projetou para você. E se você já está nele, continue! Olhe sempre para frente, não desvie nem para a direita, nem para a esquerda!

 

mayara.hoffmann
Mayara Hoffmann
Jornalista e Discipuladora Instagram: @mayahoffmann E-mail: mayara.hoffmanns@gmail.com

Comentar

1 + 1 =
Para evitarmos "spams". Resolva esta simples operação matemática. Exemplo: 1+3, digite 4.