Setembro Amarelo – Alguns pontos importantes sobre a questão da Depressão

Setembro Amarelo – Alguns pontos importantes sobre a questão da Depressão
21/09/2020

Estamos no mês do “Setembro Amarelo”, e é bem comum vermos inúmeras campanhas trazendo palavras de esperança e motivação para aqueles que passam pelo “pântano do desespero”.  Não queremos aqui “chover no molhado”, mas apenas refletir sobre alguns pontos importantes.

Primeiramente: é importante frisarmos que necessitamos desmitificar a respeito da depressão. Por muito tempo (e ainda hoje acontece) as pessoas viam a depressão como falta de fé ou falta de relacionamento com Deus e a única solução apresentada era para buscarem a Jesus.

Temos a plena certeza de que nosso Deus tem todo o poder e pode curar qualquer enfermidade, porém vemos nas escrituras muitos casos de pessoas que não foram curadas. Por exemplo, Timóteo, que estava com alguma enfermidade no estômago, porém não foi orado para que ele recebesse a cura (1 Tm 5:23).

Vemos ainda a própria questão - delicada e instigante - de Paulo, sobre seu espinho na carne (que não temos a certeza do que se tratava), porém o princípio permanece o mesmo: ele orou por três vezes e Deus disse que não iria tirar o espinho, pois a graça de Deus era suficiente para ele (2 Co 12:7-10).

Hoje há inúmeros estudos para identificar as razões que levam um indivíduo a entrar em depressão. Gostaria de elencar alguns:

-  Nós, como cristãos, e tendo uma percepção espiritual das questões da vida, sabemos que em alguns casos a depressão pode ser fruto de ações demoníacas. Claro que não em todos os casos, mas temos sim que considerar essa possibilidade. Veja que o Rei Saul era atormentado por um espírito mal que o perturbava (1 Sm 16:14). Nestes casos, sabemos que a única solução é a libertação pelo poderoso nome de Cristo.

- Outra possibilidade é a questão psicológica. A pressão do dia a dia, correria, desgastes emocionais ou espirituais podem conduzir uma pessoa ao estado de depressão. Em muitos casos isso afeta o sistema imunológico (e a produção hormonal), enfraquecendo ainda mais a pessoa que necessita de acompanhamento médico especializado.

- Em outros casos a questão pode ser fisiológica e, muitas vezes, até genética. O Dr. Rodrigo Assunção, Psiquiatra especializado no assunto, diz o seguinte:
“Por muito tempo acreditou-se que a depressão era como uma gripe a nos atingir caso estivéssemos com a imunidade baixa, porém, com o passar do tempo e especificamente no nosso século, percebeu-se ser uma doença que pode apresentar caráter genético, ou seja, hereditária. Pessoas que em sua família possuem casos de depressão aumentam o risco de apresentarem a doença. Já há atualmente, pesquisas científicas sobre esse fato. ”¹

Desmistificando a questão da doença, e tendo a plena consciência que ela está entre nós, precisamos saber lidar com as pessoas que são acometidas por ela.

Uma das coisas que o individuo que passa por uma depressão precisa é de empatia, associada à compaixão e amor.

A pessoa que é acometida por essa enfermidade, está num desanimo profundo, sendo que a crítica, palavras duras de repreensão, tornam-se “facas e tiros” que as matam cada vez mais. Na intenção de ajudar, muitos dizem frases como: “Pare de ser preguiçoso! ”, “Por que você não se levanta dessa cama e faz alguma coisa? ”, “Você tem que se motivar, se esforçar. ” São frases que possuem uma boa intenção, mas você não diz para um paralitico: “Por que você não levanta dessa cadeira de rodas? Vai ficar aí o dia todo? ” Seria um absurdo porque podemos visualizar a limitação desta pessoa. Já com a depressão também há uma incapacidade, mas como ela é invisível, a desprezamos.

Temos que ter a consciência de que as pessoas com depressão não têm a força motivacional interior para fazer as coisas simples da vida, estão sofrendo internamente e, em muitos casos, não tem vontade nem de viver.... Isso faz com muitas pessoas cometam suicídio, na intenção de cessar essa dor. O livro de Provérbios no capítulo 25 e verso 20 traz um ensinamento interessante sobre isso:

“Entoar canções alegres para uma pessoa com o coração aflito é como tirar o agasalho de alguém num dia de frio ou derramar vinagre sobre uma ferida.” NVT

Nós devemos ter consciência disso e ter amor e empatia pela delicada situação que estas pessoas estão passando. 
Todos nós já passamos por momentos de depressão, uns mais outros menos, já passamos por situações onde nossa alma estava abatida, amargurada, sem achar o refrigério necessário para acabar com aquela dor.

Lembremo-nos daquela dor que um dia sentimos e veremos que não foi algo fácil. Agora entenda: o depressivo passa constantemente por esse tipo de dor sem que esta se encerre. A alma pode ter abismos muito mais profundos que qualquer abismo real. Spurgeon, um poderoso pregador do século XIX tinha depressão, e comentando o Salmo 88:6, ele diz:

“A mente pode descer muito mais baixo que o corpo, pois existem abismos muito profundos. A carne consegue suportar somente determinada quantidade de feridas, e não mais do que isso, mas a alma pode sangrar de dez mil maneiras, e morrer novamente a cada hora. ”²

Estão aí palavras de um homem que passou por abismos e só quem esteve lá pode descrevê-los com tanta vivacidade e perfeição. Mesmo em meio a toda essa angústia, Spurgeon aprendeu a conviver com a doença e vencer através de uma vida de relacionamento e comunhão com Deus. No entanto, nem todos conseguem, pois somos diferentes uns dos outros. Por isso precisamos ajudar aqueles que passam por essas dificuldades.

Que estas palavras sirvam de incentivo para buscarmos mais conhecimento e de fato trazermos uma verdadeira ajuda para aqueles que sofrem deste mal. Levando sempre palavras de esperança, consolo, que vem das escrituras. Não direcionando palavras que ferem, mesmo que sejam palavras que têm a intenção de ajudar.

Se você tem alguém na família, algum amigo, ou conhecido que passa por essa doença, busque mais informações, leia livros sobre o assunto, ore por essa pessoa, mas tenha cuidado para não prejudicar ao invés de ajudar!

E se você está lendo este artigo, e está passando por depressão, procure ajuda, procure uma Igreja Assembleia de Deus próxima de você, que tenho a plena certeza que encontrará um ombro amigo para desabafar. Busque ajuda especializada também. Procure eliminar os pensamentos ruins de sua mente (trocando os pensamentos de morte pelas promessas eternas do Senhor!), tirar sua preciosa vida não é a solução! Jesus tem uma vida abundante para cada um de nós!  E mesmo que estejamos passando por grandes angustias nesse mundo, podemos ter a convicção de que ele está conosco, e que passaremos uma eternidade ao lado dele, onde não haverá choro, pranto ou dor.

Jesus te ama!

“e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.”
Mateus 28:20
“Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.”
Salmos 23:4

Anderson Fábio da Silva
É presbítero, teólogo, professor, com formação em avançado em Teologia, bacharelando o curso hoje na Faculdade Refidim.

1- Assunção, Rodrigo. Carvalho, Esdras. Depressão entre Cristãos. E agora. Pag 31
2- Spurgeon, Charles. Os Tesouros de Davi. Vol. 2. Cpad. Pag. 616

 

Demétrio Daniel dos Santos Ferreira
Obreiro da IEADJO, Locutor na Rádio 107,5 FM. Jornalista - MTB SC 6144 JP

Comentar

2 + 4 =
Para evitarmos "spams". Resolva esta simples operação matemática. Exemplo: 1+3, digite 4.