Tecnologia ameaça a vida familiar?

Tecnologia ameaça a vida familiar?
31/03/2014

“As facilidades tecnológicas acabaram com hábitos que reuniam a família”. Esta frase é de Mário Sergio Cortella, filósofo e educador.

Segundo o site Dependência de Tecnologia, Desde o “boom” da internet nos anos 90, observa-se um gradativo crescimento de sua utilização, inclusive no espaço familiar. Nota-se que, em cada família, ela possui diferentes representações e funções. Há famílias que conseguiram estreitar seu relacionamento com o uso desta ferramenta, enquanto outras a utilizam para se aproximar de pessoas mais distantes, mas acabam descuidando do vínculo com os mais próximos.

Existem diversos artigos que falam das famílias do século 21 e a internet que chegou para ajudar, informar, facilitar e contribuir, mais, dentro de casa, no convívio familiar, a tecnologia da informação isolou os integrantes da família, colocando cada um num canto da casa ou apartamento com seu moderno celular, ou computador, seja o que for. Não se olham não se falam, e quando estão juntos é só para bater uma foto para postar na rede social.

A tecnologia veio para ser algo importante, mais o ser humano exagerou no seu uso, deixando de lado o prazer de conversar com os filhos, de estar com eles por algum tempo. Muitos pais preferem dar de presentes equipamentos cada vez mais modernos e não se dão conta do mal que estão fazendo.

Sentar a mesa para as refeições é uma rotina que quase não existe mais. Preferem ir a restaurantes, cada um com seu moderno celular e cada um conversa com quem quiser, onde estiver menos com quem está a sua volta.

Os filhos estão sendo criados isoladamente, sem o carinho do conselho dos pais. O conselho ele ou ela pede para o amigo pelo MSN, Whatsapp Messenger, e tantas outras formas.
A família se desestrutura para não ser tachada de inconveniente e fora da modernidade tecnológica. Para onde estamos seguindo? Creio que cada vez mais, perdemos a essência familiar e ganhamos pessoas mais frias e carentes. O toque, o abraço, a conversa entre pais e filhos, parece que é coisa do passado. Temos visto crianças isoladas e apoiadas nas redes sociais, buscando uma atenção que na família já acabou.

Ouvi de um palestrante que, certa família está tão envolvida com a tecnologia dentro de casa, que o filho no quarto, manda MSN para a mãe, e pergunta se o jantar já está pronto. A mãe digita e responde que falta pouco. O filho então pede que assim que estiver pronto, o seu prato seja entregue no quarto, assim sem cerimônias nem constrangimentos. Tempos modernos? Não, é o fim do amor e respeito familiar.

Se a família é o esteio da sociedade, imaginem que sociedade está construindo agora e que teremos no futuro.

Se algo não mudar no comportamento das pessoas, teremos um bando de gente enlouquecida vivendo com seus equipamentos nas mãos, falando sozinhas pelas ruas e sem se importar com o vizinho, o amigo. Pessoas indiferentes e frias.

A culpa não é do avanço tecnológico. A culpa é nossa, que não temos limites e nem equilíbrio e amor suficiente para ver que estamos perdendo a coisa mais preciosa, a nossa família.  

ilze.moreira
Ilze Terezinha de Mello Moreira
Sou uma profissional da comunicação, nascida em Joinville, onde iniciei como repórter em 81 na televisão na TV Eldorado (Rede Bandeirantes). Após dois, fui para a CIA. Catarinense de Rádio e Televisão(RBS TV). Fui coordenadora de jornalismo da RBS TV Chapecó e Blumenau e em Joinville, repórter e apresentadora. Fiz campanhas publicitárias em programas políticos de televisão e diversos programas de rádio em várias emissoras. Hoje sou assessora de imprensa e faço rádio\jornalismo Membro da AD Joinville desde 2006 Ilze Moreira

Comentários

Verdade , a tecnologia é realmente uma grande aliada desde que; não tome o lugar do dialogo em família . é na verdade um Jardim do Éden: desde que a Serpente não tenha domínio sobre nos !!! Tomé
Enviado por Anônimo (não verificado) -

Comentar

10 + 7 =
Para evitarmos "spams". Resolva esta simples operação matemática. Exemplo: 1+3, digite 4.