oração

Círculo de Oração Masculino promove VIGÍLIA geral nesta sexta-feira

Toda sexta-feira em Joinville é realizado o tradicional Dia Oficial de Jejum. Um momento onde todos os membros e congregados da IEADJO, dedicam um período do dia para se consagrarem a Deus.

Nosso Pastor Presidente, Sérgio Melfior, faz este convite incentivando para que busquemos mais a Deus.

E nesta sexta-feira (20), a partir das 22 horas acontece a Vigília, evento Geral promovido pelo Círculo de Oração Masculino. Um período para quem deseja se fortalecer espiritualmente.

Adolescentes da IEADJO também oram por Joinville

A campanha de oração “Abençoando Joinville”, promovida pela Igreja Evangélica Assembleia de Deus desde o dia 1º de março, tem despertado milhares de pessoas todos os dias com o propósito de intercessão pela cidade.  

Junto com as dezenas de departamentos que compõem a IEADJO, a União dos Adolescentes (UNIAADJO), tem se reunido em grupos de líderes e adolescentes, para orar por Joinville, em locais de referência como, praças, em frente a instituições públicas, hospitais, empresas, comércio, nos bairros e centro do município.

Jovens da UMADJO lançam projeto "Sarando a Terra"

A paz do Senhor à todas as Igrejas de Cristo desta nação!

Meu nome é Luís Filipi de Souza, tenho 21 anos, sou servo de Jesus na cidade de Joinville, estado de Santa Catarina.

Certo dia estava lendo os noticiários e acompanhei duas notícias que me chamaram muito atenção. A primeira foi uma reportagem que aconteceu em Rio Claro (SP) quando um empresário suicidou-se depois de demitir 223 funcionários. A segunda reportagem, também ocorreu em São Paulo, na Avenida Paulista, onde pessoas foram às ruas para protestar contra um deputado federal de uma forma muito incoerente.

A Igreja vivendo em oração

“No dia 26 de agosto de 1727, 48 moravianos (antigos habitantes da atual República Tcheca) decidiram continuar em oração a partir da meia-noite daquele dia até a meia-noite do dia seguinte, revezando-se durante as 24 horas. No dia 27, já eram 77 irmãos orando e intercedendo, além de crianças que haviam se engajado nesta “aliança comunitária”. O bispo Hasse relata que, a partir desse dia, os moravianos não pararam de orar “por mais de cem anos”.